sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Dos macacos

Na ilha de Bioko, perto da costa dos Camarões, parte da Guiné Equatorial, onde fica Malabo, a capital, ilha praticamente prístina, há sete espécies de macacos, entre os quais seis subespécies únicas: o dril de Bioko, o cercopiteco-de-preuss, o cercopiteco-de-nariz-branco, o cercopiteco-de-orelha-vermelha, o colobo-preto e o colobo-vermelho.
Em Portugal, na ponta de uma península na cauda da Europa (ou no focinho da Europa, consoante a perspectiva de cada um), quantas espécies de macacos haverá? Adianto que em Bioko, por causa da caça furtiva, estão em vias de extinção, mas em Portugal abundam, seria bom até abrir-lhes caça.
Começo com uma espécie:
-O cercopiteco-de-colarinho-branco, com três subespécies: o cercopiteco-selfmade; o cercopiteco-de-boas-famílias; o cercopiteco-jobs-for-the-boys.
Características comuns, além do colarinho de pelo branco: uma boa rede de relações interprimatas, esperteza e rapidez de movimentos, ocupação de territórios, por vezes bem ocultos, com árvores de topo e nutrientes gourmet. Diferenças: o selfmade é um trabalhador nato, orgulha-se do império que construiu e está sempre na labuta, não pode ver um macaco parado; o de-boas-famílias tende a relaxar à sombra das bananeiras, geralmente, teve um selfmade como antepassado (que enriqueceu à custa das batatas, do contrabando, ou outros); o jobs-for-the-boys vive do bluff e das influências, o que requer algum trabalho, sobretudo na juventude, e um certo jeito para lamber as patas dos primatas mais influentes. O de-boas-famílias tende a gozar o selfmade, porque este é muito garrido e tem um pequeno verniz nas unhas que estala facilmente em situações de stress. Mas só goza em privado, como regra. É comum cumularem-se as características de de-boas-famílias e job-for-the-boys no mesmo símio. Basta que a espinha dorsal seja flexível e a necessidade ultrapasse os valores (por exemplo, quando o símio é nobre mas teso) . O jobs-for-the-boys também se encosta ao selfmade, mas arrisca-se a levar umas unhadas se não trouxer valor acrescido. O selfmade tende a ser inflexível.
(to be continued)

6 comentários:

claras manhãs disse...

Retrato muito bem construído.
Destas três sub-espécies há muitos, para bem da ecologia, deveria começar a caça.
Não é necessário extreminar, mas reduzir uns 99%, multiplicam-se mais depressa que os ratos.

saphou disse...

Obrigada Claras, gosto muito quando cá vem.

nieves disse...

Cara Saphou, obrigada pela visita e pelo seu comentário.

saphou disse...

Obrigada nieves, sou sua fã desde há muito.

nieves disse...

Cara Saphou, comentários como o seu ajudam-me a continuar sempre à frente. Os dois últimos post foram causados por uma pessoa e não queria que soubesse o dano imenso que me fez. Pode entrar lá.

patricia m. disse...

Mas Saphou, se voce acabar com os self made, o que sera da economia? Economia estatal, eh isso?