quinta-feira, 21 de julho de 2011

domingo, 10 de julho de 2011

Portuguese translated sayings:

- You are here, you are eating
-You are good as corn
- put rope on your tennnis shoes and came and catch me
 - take the monkeys of your nose
-don't look at me with those eyes of boiled fish

guess what they mean and you wil winn a fabulous golden prize!

sábado, 9 de julho de 2011

We welcome the Republic of Souh Sudan

Congratulate its people and  President Kii. Juba is the capital of the 193º country of the United Nation. After two decades of civil war, hope is born.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Em honra de uma Grande MULHER: Maria Jose Nogueira Pinto, ontem falecida, texto escrito duas horas antes da morte anunciada

Nada me faltará

por MARIA JOSÉ NOGUEIRA PINTOHoje229 comentários
Acho que descobri a política - como amor da cidade e do seu bem - em casa. Nasci numa família com convicções políticas, com sentido do amor e do serviço de Deus e da Pátria. O meu Avô, Eduardo Pinto da Cunha, adolescente, foi combatente monárquico e depois emigrado, com a família, por causa disso. O meu Pai, Luís, era um patriota que adorava a África portuguesa e aí passava as férias a visitar os filiados do LAG. A minha Mãe, Maria José, lia-nos a mim e às minhas irmãs a Mensagem de Pessoa, quando eu tinha sete anos. A minha Tia e madrinha, a Tia Mimi, quando a guerra de África começou, ofereceu-se para acompanhar pelos sítios mais recônditos de Angola, em teco-tecos, os jornalistas estrangeiros. Aprendi, desde cedo, o dever de não ignorar o que via, ouvia e lia.
Aos dezassete anos, no primeiro ano da Faculdade, furei uma greve associativa. Fi-lo mais por rebeldia contra uma ordem imposta arbitrariamente (mesmo que alternativa) que por qualquer outra coisa. Foi por isso que conheci o Jaime e mudámos as nossas vidas, ficando sempre juntos. Fizemos desde então uma família, com os nossos filhos - o Eduardo, a Catarina, a Teresinha - e com os filhos deles. Há quase quarenta anos.
Procurei, procurámos, sempre viver de acordo com os princípios que tinham a ver com valores ditos tradicionais - Deus e a Pátria -, mas também com a justiça e com a solidariedade em que sempre acreditei e acredito. Tenho tentado deles dar testemunho na vida política e no serviço público. Sem transigências, sem abdicações, sem meter no bolso ideias e convicções.
Convicções que partem de uma fé profunda no amor de Cristo, que sempre nos diz - como repetiu João Paulo II - "não tenhais medo". Graças a Deus nunca tive medo. Nem das fugas, nem dos exílios, nem da perseguição, nem da incerteza. Nem da vida, nem na morte. Suportei as rodas baixas da fortuna, partilhei a humilhação da diáspora dos portugueses de África, conheci o exílio no Brasil e em Espanha. Aprendi a levar a pátria na sola dos sapatos.
Como no salmo, o Senhor foi sempre o meu pastor e por isso nada me faltou -mesmo quando faltava tudo.

Lixo toxico sera a Moody's e quejandas agencias de rating americanas, cujos socios sao tao isentos que vao ao mercado

Portugal, embora tendo falido sete vezes, sempre foi limpinho e sempre se soergueu. PQP as agências de rating americanas. Os EUA são lixo tóxico para a agência de rating chinesa.
Venha a agência de rating europeia! Que comecem as batalhas económica e jurídica abertas. Declare-se a ilegalidade, por pratica dominante e concertada, das agências de rating americanas,já  para não dizer que são parte interessada por interposta pessoa: the partners, of course! Cuspa-se nas opiniões das ditas.

A Angela Merkel ama todos os primeiros ministros portugueses. O Coelho  e mais genuinamente charmoso-transmontano do que o Pinto de Sousa, que ensaiava o perfil. Um telefonemazinho ao Banco Central Europeu e as agências de notação americanas que se cuidem. Nos  acabamos com elas e ainda passamos a heróis do Séc. XXI: os construtores da nova Europa! Esta na altura de as desacreditar e acabar com elas Olha-me esta! Porque e que a União Europeia e o Banco Central Europeu tem sido tao subservientes? Tivemos que ser nos a abrir-lhes os olhos. Portuguese are rating american agencies busters! Let's go folks! Ainda por cima lhes pagamos forte e feio?

PS: a falta de acentos deve-se a deficiente cultura do autor que não descobre como resolver o problema do teclado.