sexta-feira, 11 de setembro de 2009

O nevoeiro arrasa comigo

Dói-me tudo
Da humidade
Até a alma
foi atingida por musgos
Está nevoeiro
Não se vê um palmo
O cão do vizinho uiva
Os faróis avisam os barcos
Com um som triste, agudo
repetitivo
para não encalharem nas rochas
confundindo-as com sereias.
Ela, o meu sol
(em alemão -die Sonne- o sol é feminino)
Foi mais uma vez embora,
ao contrário de D. Sebastião,
Foi num dia de nevoeiro
Apaguem as luzes
Fechem-me a porta
Quero estar mais sózinha do que nunca

9 comentários:

privada disse...

Anda cá, nem te passa, tenho aki keijo dos açores e voilá, imagina ke mais, 4 garrafosas de kinta do cotto será ke é bom? tem 13% é da Montez Champalimaud? Hum

Funes, o memorioso disse...

1- A alma nunca é atingida por musgos, mas por líquenes.
2- Os faróis não avisam barcos com som nenhum. Quem faz isso são as roncas. É verdade que as roncas costumam estar instaladas em faróis, mas não se confundem com eles.
3- Os barcos encalham em bancos de areia e não em rochas. Nas rochas, espatifam-se. Além disso, as rochas, embora possam ser arredondadas, lembrando mamas, não têm rabos de peixe, como é suposto terem as sereias.
4- Esperava-se lá que nazis soubessem o género das coisas. Sol é masculino. Feminino, é Lua.
5- Sabe-se que D. sebastião há-de voltar num dia de nevoeiro, mas nunca ninguém excluiu que também fizesse nevoeiro no dia em que partiu.
6- Não é por as luzes estarem acesas que vai ficar menos só, nem é por escrever poemas depressivos que vai fazer com que gostemos menos de si.

Blimunda disse...

Ela volta, saphou. Se vires bem, nem foi nada, vais ver. Vamos carregá-lo.

Blimunda disse...

O Mestre é mestre a levantar o ânimo. Safou-se com a última alíena.

privada disse...

Vamos como kem diz, eu sinalizo as manobras.

Blimunda disse...

Queres dizer que hoje és o 100%cool?

Blimunda disse...

Saphou também tenho que ir mas volto, volto sempre. Faz-me o favor de abrir a janela e acender todas as luzes. Que se lixem os verdes. Segunda temos que cantar os parabéns ao Privada. Um beijinho grande e não julgues que por te pores a fazer literatura pró-depressiva vous gostar menos de ti (onde foi que ouvi isto?). Agora tenho que ir fazer madeixas para parecer mais nova senão não posso ir à festa do Privada. Beijinhos

Amil Neila disse...

Hmmmm, Quinta do Côto... Queijo dos Açores... 'tou lá. Acho que só tenho cerveja e um emmental.

Funes, o memorioso disse...

Se houver groselha, e sandes de atum, também apareço.