segunda-feira, 4 de maio de 2009

Morte II

Um borboleta nocturna, encandeada pela luz, entrou em completa desorientação e acabou esmagada. Paz à sua alma, se é que existe...

3 comentários:

Blimunda disse...

Tudo é efémero, sobretudo o belo!
Se eu fosse homem, dir-lhe-ia: Saphou, vamos mas é virgular como coelhos, antes que isto acabe!!!

Blimunda disse...

Agora percebo! Apague-me já essa luz! Bolas, bolas e mais bolas! Se não vê bem, apalpe, mas apague a luz faxavor!

eug disse...

"Paz à sua alma, se é que existe..."

Paz ou alma?