quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Saphou, vidente, assistente do vidente Funes

Prevejo que logo há jogo da Selecção na Bósnia. Prevejo insultos, cuspidelas, pancadaria, veryheavies e outros foguetes a cair na erva rala, se é que aquilo tem erva. Só não consigo prever se no fim do jogo ainda haverá jogadores da selecção, já que os bósnios, uns gentlemen, "vão atacar como lobos esfomeados" e "é uma questão de vida ou morte". Se bem que o Pepe e o Bruno Alves também são capazes de matar alguns na batalha campal em que se vai transformar o jogo. Aliás, já vimos o Pepe em acção. Uma mais-valia. Pena que João Pinto não integre o grupo. Se Portugal ganhasse, coisa que só posso prever mais para o fim da noite, um grande final seria um arremessar de bombas imediatamente a seguir ao apito final. Ora aí está, ganhar sem ir lá para as Áfricas. Seria, além do mais, um grande argumento para um filme de um qualquer realizador português, por exemplo, o do "Trio de Ataque". Se perdessemos, também seria um final apoteótico e igualmente um argumento de primeira para o próximo sucesso de bilheteira. E os mórbidos nojentos do mundo inteiro iriam babar de entusiasmo. Confesso que gostava de ver os ninjas da GNR a actuar. Mas a minha entidade patronal é mesquinha e nem o jogo me deixa ver.

6 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Saphou, estive a ler o seu perfil. Os seus livros favoritos são, em geral, os meus livros favoritos. Acho que é amor. Podíamos visionar o futuro juntos.

saphou disse...

É uma proposta? Sim, aceito.

saphou disse...

Podemos convidar os amigos mais intímos para a cerimónia que oficializa o visionamento conjunto?

privada disse...

fale do 2666 Saphou, vá um brutal post, please

Blimunda disse...

Posso ser a menina das alianças optimétricas?

saphou disse...

Tal como prometido, prevejo que Portugal ganhou em Zenica, o penico do mundo, com grande personalidade. Isto de prever para o passado é um dom que poucos possuem.