quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Nitch, a Pulga Amestrada.

A manhã acordara-a da noite mal dormida com um tímido e morno raio de sol infiltrado sem pré-aviso pela portada entreaberta. Não era hábito assim pernoitar mas a liberdade conseguida com a ocupação a solo do leito conjugal, facultara-lhe o seu próprio contento. Afigurava-se um dia distinto na sua irrepreensível equidade. Não ouvira antes de adormecer a recorrente pergunta, se já dorme, assim como não respondera negativamente, explicando que apenas treinava para morrer. Ninguém lhe perguntaria se já acordara e abster-se-ia, assim, da respectiva refutação, respondendo que não, que se mantinha na posição eréctil apenas por uma questão de sonambulismo. Palavras de matar o silêncio confundindo-se com gestos repetidos e gastos pela erosão do desamor e pela aridez da obrigação. Alguém, importando-se com aquele silêncio, perguntara da sua razão. Respondera, com um sorriso exangue nos olhos, que se deve falar se alguém nos ouvir, caso contrário, seremos tidos como loucos. A ideia de que quanto mais falasse, menos seria ouvida, avolumara-se no entendimento atingindo proporções faraónicas e remetendo-a ao mais profundo claustro social. O vazio da inércia ocupara o espaço até então transbordante de cor e o ínfimo sopro de vida sobrevivente naufragara num branco esquálido e obtuso que, ordeiramente, a leva pela mão, à loucura.

8 comentários:

privada disse...

pela aridez da obrigação - potente!

marta disse...

A erosão do deasamor, também é muito potente.
Duas expressões, potentes de mais.

beijinho

Mofina disse...

Pólvora.

Mofina disse...

Apetecia-me dizer: Um polícia em cada rua, em cada casa, em casa mesa lavada... mas não posso. Bolas.

saphou disse...

Ufa!

Blimunda disse...

Saphou, ai os meus ricos moranguinhos que se foram à vida! Assim nunca mais enriqueço, pá. Já é a segunda plantação que se vai. Ufa, porquê, vens cansada da quinta :-)

Blimunda disse...

Saphouuuuuuuuuuuuuu, o Mestre faz anos, pá. Onde é que andas?

privada disse...

Já chega de tanto preparo vá, oupa, está toda a gente à espera ke inicies o baile.