quinta-feira, 10 de junho de 2010

Dois monges budistas

caminhavam por uma estrada lamacenta.
Uma jovem pediu auxílio, pois que precisava de atravessar para o outro lado e não queria sujar o seu melhor vestido de festa.
Um dos monges, prontamente, pegou na jovem ao colo e atravessou-a.
Mas depois ficou muito preocupado, porque ia contra as regras tocar em mulheres, mesmo para um acto caridoso.
Passadas quatro horas, ao chegar ao mosteiro, virou-se para o outro e perguntou-lhe se não estava cheio de remorsos por terem quebrado as regras.
O outro retorquiu:
-Que mulher? Já larguei esse peso há quatro horas atrás.
...
Lendo esta história ela pensou: porque é que eu não consigo largar os pesos que me colocam corcunda, se já não existem no presente? Porque é que não consigo esquecer a falta de afectos, as humilhações e fazer-me à luta, se passados segundos são apenas memórias? Em vez disso, somatizo e adoeço. Estou presa por um fio muito frágil de afectos que ditam a minha sorte. Como quebrar o ciclo vicioso?

34 comentários:

Anónimo disse...

1. Saber Kd essas cenas acontecem.
2. Evitar estar com a pessoa nesses horário. Ou seja reduzir ao minimo.
3. preencher tempo com outras actividades. Sem medo. procurar novos amigos.
4. Pensar só em si.
5. Ao fim de um ano está livre. Mas verdadeiramente livre.

Mt difícil mas altamente

Anónimo disse...

a cena começa ao almoço - não vá almoçar. Pare de kr transformar os outros. A cena termina as 10 ´xegue as 9:3. Ninguém morre sem si. Não responda alto fale mentalmente . não observe não olhe vá para pc ligue aos amigos. Meta algodão nos ouvidos. Vá aos encontros mulheres k amam demais. Vá ao curso k vai sair agora sobre isso. Deixe de ser merdinhas.

Anónimo disse...

esta mulher não é merdinhas, se o anónimo atrurasse o que ela atura, gostava de ver quem é o merdinhas.

Gosto de ti porra disse...

Idem, repito o anónimo 3

Anónimo disse...

vejamos se responder vão dizer k você é insuportável e origina. Se deixar de estar tão presente ocupando-se com coisas k goste será melhor p todos. Já tentou tudo nada muda . Vá se ausentando . Pouco a pouco. Pk tudo gira em volta disso? Pk você insiste em mudar os outros. Faça de si a roda. Tem obrigação de ajudar este país

mac disse...

Porque é que te queres mudar, Saphou? Aceita-te. Estarás a aceitar uma coisa muito boa, na minha humilde opinião.

jama disse...

Os anónimos que pugnam pela mudança fazem-me lembrar as tipas que pretendem melhorar a imagem com lipo (qualquer coisa), diminuições e aumentos de peitos, aumentos de lábios, etc., e depois ficam uns verdadeiros trambolhos. A mac é que sabe da poda. Os outros devem ir fazer voluntariado, mas para a Somália.

Privada, o bacoco disse...

Jama deve ser daqueles tipos que acha que a vitima merece uma medalha de martire, coitadinha tão sofredora e ainda assim tao boa mulher, e tão inteligente, primeiro acho que esta cena nada tem a ver com a Saphou é um caso para debate, refere uma situação de co-dependencia, é grave é destrutiva, e presente em larga escala em paises em desenvolvimento.

Afecta a pessoa, a sua profissão, as suas relações, e por fim a sua saude de forma irreversivel.

É muito interessante.

Privada, o bacoco disse...

Já li algumas cenas sobre isto, assisto a isto todos os dias, há quem perceba que é vitima, a maioria nem aí chega.

O problema é tão grave, k a união europeia financia formação sobre a problematica, com vista à igualdade e desenvolvimento. já há por aí algumas formações, ainda poucas, em paises desenvolvidos a problematica é abordada nas escolas.


Por exemplo Funes está correctissimo à luz dessa teorias, quando diz que ninguem deve casar apaixonado, embora seja basico em filosofia, a maioria espanta-se com isto. Nessas formações, o tema vai mais alem, é interessante.

Espero ke em 2011 cheguem cá em força.

Privada, o bacoco disse...

Como só as camadas mais "poderosas" percebem, a formação que por aí anda é carissima, inacessivel para a maioria, e como é um tema tabu, nem sequer muito publicitada.

O objectivo é k chegue a toda a população, as camaras e juntas podem candidatar-se a subsidios, bem como entidades sem fins lucrativos paraministrar, o problema é ke ainda continuam a achar que não é um problema, pelo menos enquanto não é real violencia domestica.

Mas em 2011 chegam cá, de certeza, alias é exigida essa evolução, para o desenvolvimento sustentavel e em igualdade.

jg disse...

Isto é só mestres Bambos e Professores Karamba...

Saphou, despache uma murraças e uma biqueiradas e essa merda compõe-se na hora.
Pqp a canzoada que nos faz a vida negra.
Não lhe basta saber que tem dois Cardosos que se prostam, incondicionalmente, a seus pés?!?!

100anos disse...

Caríssima e regressadíssima Amiga,
Eu, quando estou perante situações comparáveis à que descreve, a primeira coisa que faço é ligar o "descomplicador".
90% das questões descomplicadas deixam de existir.
As outras 10%, olhe PQP e 'tá a andar.
Assim se consegue uma cabeça fresquinha e louçã (salvo seja, que não tenho nada a ver com o padreca).

Diabo Antigo disse...

O ciclo vicioso cura-se com uma viagem, que é o melhor remédio para essas moléstias.

marta disse...

Estou com a anónimo 1
-Pensar em si, pensar em si e só em si.
-Começar a não estar em casa, quando todos estão à esperra que lá esteja
-chegar e não dar explicações a ninguém, a não ser: apeteceu-me
- talves em menos de um ano esteja completamente livre, até porque a primeira 'infracção' dá um gozo enorme.

mac disse...

Olá, Saphou

mac disse...

olá, Saphou

Blimunda disse...

Ainda não te livraste dos calhaus, Saphou?

Volta lá, pilisi...

Blimunda disse...

Já viste o meu novo ar aluado no fb? Vai lá fazer-me um miminho, caramba! Tb tou cárentxi.

Blimunda disse...

Pronto, também já o podes ver aqui. Lindo não é?

Blimunda disse...

Ora bolas! Afinal não podes. Quando é que me dás poderes de administradora, pá? Só posso publicar mensagens.

Blimunda disse...

Saphou, encomendei-te um parecer no meu quiosque. Depois manda a conta, faxavor.

mac disse...

Olá, Saphou

jg disse...

O ausência súbita da menina Saphou coincidiu com o noticiado desaparecimento de 500 kilos de explosivos gamados numa pedreira não sei bem onde...
Como não acredito em coincidências, teremos foguetório para breve.
Digo eu... cos nervos.

mac disse...

Olá, Saphou

mac disse...

Olá, Saphou

mac disse...

Bom dia, Saphou

Blimunda disse...

Bom dia, Saphou.

Amiga, um dia é da caça outro do caçador. Além de que um vem sempre a seguir ao outro.

mac disse...

Olá, Saphou. Vão umas tapas, umas bebidas e dois dedos de conversa?

100anos disse...

Pópilas, como se diz em Angola.
Saphou começo a ficar enjoado com os monges budistas.
Não há maneira de os substituir, quanto mais não seja por dois frades capuchinhos ?
Nós, os católicos ateus e agnósticos, também temos direito à vida.
Graças a Deus !

mac disse...

Olá, Saphou

mac disse...

Bom fds, Saphou

mac disse...

Bom dia, Saphou

Carlos Pires disse...

Li uma versão dessa história em que o monge mais novo, depois do outro ajudar a mulher, ficou amuado e silencioso. Horas depois repreendeu-o pelo que tinha feito e ele respondeu: "deixei essa mulher lá atrás na estrada há horas atrás, mas tu ainda a trazes contigo".

saphou disse...

Leu em "Tertúlia de Mentirosos", de Jean-Claude Carrière?