sexta-feira, 6 de março de 2009

Dos sonhos de Carlos Queirós

Carlos Queirós saiu do Manchester para ser campeão do mundo por Portugal. Não tenho nada contra os sonhos. Força Professor. O que interessa é tentar.
Eu também vou jogar no mega euromilhões (apesar dos anúncios ridículos dos últimos dias) para me tornar a próxima multimilionária excêntrica da União Europeia.
Ambos temos probabilidades muito baixas de concretizar o objectivo, embora o Professor, que muito admiro e respeito, tenha alguma vantagem que não lhe servirá de nada. É só em termos estatísticos.

8 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Não percebi a última parte do post. Então não é muito mais provável alguém acertar no euromilhões do que Portugal qualificar-se para o mundial da África do Sul?

saphou disse...

Va bene Funes. Io non sono pirla! Vá com a fina ironia ter com Mme Funes, pode ser que ela lhe dê com uns livros de estatística e de cálculo de probabilidade na moleirinha.

Funes, o memorioso disse...

Carlos Queirós só há um: o poeta do "desaparecido", e mais nenhum.

A par de rabindranath tagore (não capelo de sousa) era o autor favorito desse ilustre condidcípulo que foi, e ainda é, Djama Moscoso ("o que está com a mosca", diz o Dic. PEditora) Marques, cujo nome evoco, com uma lágrima furtiva e outra no canto do olho.
O mesmo Djalma "o leão" Marques, que no dia da formatura, exclamou este dito de espírito memorável: "Enganei-os !!!".

E não estava a ser modesto...

saphou disse...

"Ó Djalma, ó homem, vem para aqui falar francês?", disse a dada altura da oral Taipa de Carvalho.
Grande figurão. Que é feito dele?

Funes, o memorioso disse...

Que se note bem: o Funes que fez o último comentário assinado por Funes, não é Funes, é o pseudo-Funes, que também usa Benvindo Minhocas.

saphou disse...

O verdadeiro Funes tem razão. O outro é um clone falsete. Esperemos que seja Bem Vindo Minhocas. Deixou a sua marca, mas eu apaguei-a. Podia ter escolhido um bébé mais jeitosinho.

saphou disse...

O discurso, algo estranho, parecia indiciar que privada tinha dado erva caseira a Funes; mas vindo de Bem Vindo, é um discurso coerente. Nem precisa de fumar nada ou mesmo snifar...sai-lhe com naturalidade.

privada disse...

quem destribui a erva sao os portugueses dos negocios, ao privada e aos tolinhos como ele, restam dores de cabeça para repartir, dores de cabeça só do lado esquerdo, no lobulo, e rotações a mil velocidades, por declives que nunca mais acabam, que nunca mais batem num pedragulho, que estilhace a cabaça em bocados, o destino parece nao ter a pressa da rotatividade, vais bater, vais bater, mas nunca mais bate.