segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Nada de especial

No sofá da sala, na semi-obscuridade de um dia cinzento, com chuva nas vidraças e ramos de árvores numa dança violenta imposta pelo uivar do vento, ela chora sem raiva, imóvel. As lágrimas caem uma após outra, silenciosas. Tanta humilhação, tanta mentira, logo no Outono da vida. Se ao menos fosse nova... Sabe que tem que agir, mas não sabe como. Está perdida num cruzamento de incógnitas...Qual será o rumo a tomar? Apenas as drogas lhe permitem permanecer numa falsa tranquilidade meditativa. É preciso saber o momento certo para agir. Ela tem consciência que não é este. Mas a espera tortura-a. Nem mesmo sabe por que espera, nem o que a espera. Sabe quem lhe mente, sabe quem a humilha. Sabe o efeito devastador que isso tem na sua mente e no seu corpo. Desejaria um milagre. Que a mentira fosse banida. Mas só a criança que há nela tem essa esperança ténue. Na solidão da sala, as lágrimas caem lentamente. A espera eterniza-se, talvez até ela morrer. Porque é que a mentira não pode ser banida? Porque é que foi educada no valor da verdade acima de tudo? Para cair neste lamaçal?

10 comentários:

privada disse...

Podia apanha-lo em flagrante, mas e depois ficava pobre.
Pegou no telemovel, no jn e se a Madonna tinha um Jesus ela havia de ter um Judas, daqueles musculados peritos e profissionais. Nunca lhe deu tanto gozo pagar aquela aventura.

Blimunda disse...

Não posso acreditar que tanto sofrimento se possa dever a uma eventual traição conjugal! Não é pois não Saphou? Tive essa sensação mesmo antes de ler o comentário do privada.

patricia m. disse...

Exato, a questao sempre eh pagar na mesma moeda... Olho por olho...

saphou disse...

O privada não sabe nada.

patricia m. disse...

Eh claro que ele nao sabe, quem diz que ele sabe?

patricia m. disse...

Mas mantenho ainda a minha resposta, para qualquer que seja o problema: olho por olho...

saphou disse...

Não Blimunda, não tem nada a ver. O privada é bom tipo, mas está a léguas do problema dela.

privada disse...

Pois pirei me a tempo, agora tenho outra, quer dizer ainda não tenho, mas ando a complicar para ter desculpa para isso.
E está dando certinho não tarda nada as 2 estão a pedir desculpa

- Oh amor desculpa , eu tenho andado triste não sei o que é, é um aperto no peito sabes e aí filipo contigo, desculpa

- Tu, tu és sempre a mesma coisa já me habituei, nem ligo, se ligasse, enfim, vou tomar banho

Blimunda disse...

Pois, bem me parecia! Nesse caso será certamente algo muito especial. Que ela tenha a força e a sabedoria que precisa para saber esperar e agir na hora certa.

saphou disse...

Ela vai-se abaixo, mas costuma lamber as feridas e voltar à tona da àgua.Esperemos que o corpo não a atraiçoe.