domingo, 15 de fevereiro de 2009

Macacos III

Hoje vou referir uma subespécie recente do cercopiteco-de-colarinho-azul (não se deixem enganar pelo termo, porque não está ligado a nenhum clube de futebol em especial): os cercopitecos-cristianos-ronaldos, que se estão a tornar uma praga em Portugal, comparável aos eucaliptos, no reino vegetal, embora eu prefira de longe os eucaliptos que cheiram bem e têm propriedades medicinais.
Os cristianos-ronaldos existem em vários tamanhos, desde o atarracado gordo, ao alto magro, passando pelo enfezado baixo e pelo gordo XXL em altura.
Caracterizam-se, exteriormente, por usarem crista e brincos a imitar diamante, normalmente adquiridos na loja do chinês. Quando os cristianos-ronaldos recebem o 13º mês, compram uns brincos em brilhantes e, os mais afortunados, filhos de algum industrial provinciano ou ligados ao crime mais ou menos violento, usam diamantes a sério. Em comum têm o ser grunhos e o não saber jogar futebol, embora adorassem continuar grunhos mas ser craques do desporto rei. Alguns podem, eventualmente, jogar na liga dos últimos. Costumam usar calças de ganga a deixar espreitar os boxers, com maior ou menor visibilidade, e umas sapatilhas garridas a condizer com a camisola.
Em idade escolar, andam em grupo e o palavrão é a forma de se expressarem, não sabem falar português (cfr. "Morangos com Açuçar"). Os mais frustrados batem nos professores.
Quando mais velhos, deixam de bater nos professores que já não têm, as outras características mantêm-se. Podem passar a andar à porrada entre si ou com a mulher ou a sogra. Estas costumam ganhar a batalha. Em casa grunhem, mas calçam as pantufas.
Dão aos filhos o nome de Cristiano ou de Ronaldo, ou os dois juntos. Obrigam-nos a vestir-se como o pai desde tenra idade. Têm um carro kitado, comprado em 2ª ou 3ª mão, e o seu habitat são os shoppings dos arredores das grandes cidades e os estádios de futebol.
Dormem nos subúrbios com posters do CR7 no quarto e, em geral, abandonada a escola, têm um emprego indiferenciado, vivem do subsídio de desemprego ou dedicam-se à vadiagem. Alguns, em grupo, assaltam putos, senhoras e velhinhas para roubar uns trocos e o telemóvel. A fina flor dos cristianos-ronaldos (muito rara) está no crime organizado blue colar ou descende dos tais industriais.
Ao domingo passeiam-se em zonas onde habitam cercopitecos-de-colarinho-branco, para exibirem o seu ar macho, que muitas vezes esconde um maricas em sentido próprio ou figurado.
Em regra não são perigosos, ressalvadas as excepções atraídas para a criminalidade. São apenas inestéticos, como as casas dos emigrantes. Os cercopitecos-de-colarinho-branco servem-se deles e comem-nos de cebolada.
P.S: Obviamente, não se incluem na categoria dos cercopitecos todos os que vêm no CR7 o talento e a inspiração para atingirem os seus sonhos. Se CR7 os ajuda nesse sentido, tanto melhor.

1 comentário:

hashre disse...

hehehe! Five points