quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Tribunal da Boa-Hora, Hotel de Charme

Não está mal, visto não senhor! A "Comissão Pouca Vergonha" não está a ver bem a coisa. Poder-se-ia chegar a um acordo em que os magistrados, advogados e afins, tivessem descontos substanciais nas noites de aniversário, aniverário de 15, 25 e 50 anos de casamento, de união de facto, ou até numa escapadinha de três dias com a amante/o amante. Podiam fazer lá as festas de baptizado, 1ª comunhão, comunhão solene, casamento e divórcio, deles e dos familiares próximos, consoante o caso. Até se podia arranjar um localzinho para os velórios.

-Ó Carlota, foi nesta sala de jantar, em que te ofereço este precisoso anel pelos nossos 25 anos de casados, que condenei um padeiro a 5 anos de cadeia por homicídio doloso na pessoa de seu irmão. Ao fim de 2 anos saiu em liberdade condicional por bom comportamento, até tirou um curso de hotelaria. Olha, sem dares muito nas vistas, é aquele ali que está a servir à mesa do Desembargador Arcádio. Quem diria, Arcádio, o púdico, com um jovem adulto a trocar olhares comprometedores.

Pensando bem, os descontos poder-se-iam estender aos antigos condenados por crimes na Boa Hora. Aos absolvidos já não me parece bem. Não têm uma ligação intensa à instituição. Nem esses, nem os advogados estagiários, que se limitam a pedir justiça.

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Interior.aspx?content_id=1148143

1 comentário:

funes, o à escuta disse...

Eu quero ir para esse hotel,com o meu amante e desconto de 80 %