domingo, 18 de janeiro de 2009

Questions

Porque é que os homens tendem a ir sempre ao barbeiro de origem?
Casam, juntam-se, ou vão morar sózinhos, mas se a nova residência não for a mais de 50 km do barbeiro de sempre, é certo e sabido que vão lá. Podem ter um barbeiro do mesmo nível ou um cabeleireiro para homens, que já é um upgrade, a 100 metros do novo domicílio, mas atravessam a cidade, enfiam-se nos maiores sarilhos na baixa, ou vão a terras mais ou menos vizinhas, para cortarem o cabelo. Podem sair de lá com um corte pente 1 ou com um cabelo em forma de tigela. O barbeiro pode até fazer-lhes peladas, induzir pequenos cortes, estar completamente gágá. Vão lá na mesma. É um enigma para o sexo feminino que procura sempre o cabeleireio mais a par das tendências, que melhor corte o cabelo.
Há uma ligação mais intensa ao barbeiro de origem do que à própria família de origem. Podem ir ao barbeiro sem entrar em casa dos pais, a 50 metros. Palavra de Saphou.

19 comentários:

tipo que não se quer identificar disse...

É o nosso último reduto, juntamente com o clube do Bolinha. As mulheres invadem tudo, gritam, falam demais.
Ao menos ali não há mulheres, e sempre vamos ao local onde o nosso paizinho nos levava.

hashre disse...

É uma ligação à infância, à adolescência, à mãe...

jorge c. disse...

Porque descobriu que todos os outros eram péssimos e não davam pastilhas elásticas.

saphou disse...

Jorge C., que bom vê-lo por aqui! Ainda lhe dão a pastilha elástica?

eug disse...

Talvez se crie uma ligação emocional.

E, talvez seja por esse mesmo
motivo que as pessoas vão sempre
no mesmo proctologista ou no
mesmo ginecologista...

Sei lá...???!!!

:-)

jorge c. disse...

O Sr. João dá-me sempre uma gorila. Agora mudou para umas mais baratas e eu já não levo.

Eu é que agradeço a amabilidade aqui e lá.

ZekezCarvalho disse...

Durante vinte e cinco anos percorri mais de 25 km para ir ao meu barbeiro, que não era de origem mas quase (vá lá, o meu barbeiro de juventude)- a barbearia Veneza, na baixa do Porto. Acabei por desistir devido à progressiva dificuldade de estacionar o automóvel. desde Há uns quatro anos, para minha grande vergonha, frequento o cabeleireiro Sanjam (ex-saint-Karl, num centro comercial, onde chego rapidamente e posso estacionar à vontade. Não tem comparação. Às vezes quase me sinto boiola...

jorge c. disse...

Mas para si é fácil, Zekez. Para mim tem de haver um trabalho artístico.
O meu de origem também era em Vila Franca. Era um Sportinguista comunista chamado Vitoriano.

inespimentel disse...

Não será fácil a um homem entregar-se, de olhos fechados, a um outro que tem uma navalha na mão... para isso é preciso confiar sem limites.... e se, enquanto criança os meus pais o faziam, o melhor é mesmo continuar!

inespimentel disse...

Não será fácil a um homem entregar-se, de olhos fechados, a um outro que tem uma navalha na mão... para isso é preciso confiar sem limites.... e se, enquanto criança os meus pais o faziam, o melhor é mesmo continuar!

eug disse...

"Não será fácil a um homem entregar-se, de olhos fechados, a um outro que tem uma navalha na mão..."

Contanto que o barbeiro não
espirre na hora que a navalha estiver
perto da orelha ou do pescoço, tudo bem!

:-)

sinhá moça disse...

Eu cá vou sempre ao barbeiro por causa da minha barba, sou uma mulhé de pelo na venta! E ele faz um cafuné em mim.

saphou disse...

Sanjam Zekez? Isso é la nome que se apresente! Trocou o barbeiro de origem por um cabeleireiro maricas de nome duvidoso?

Imagine os versos que podemos fazer com Sanjam. Isto não se pode espalhar.

saphou disse...

Funes está muito calado, onde cortará o cabelo?

Woman Once a Bird disse...

E Funes conseguiria tomar uma decisão dessas? Palpita-me que também neste capítulo temos o dedo de Madame Funes.

eug disse...

FÍGARO! FÍGARO!

O sujeito foi cortar o cabelo no barbeiro que freqüentava há mais de vinte
anos.

- Rapaz, tô excitadão, vou pra Itália amanhã.

- Itália? - perguntou o barbeiro - com tanto lugar bom pra ir, você vai
prá Itália?

- É, eu vou pela Alitalia.

- Puta que pariu, a pior companhia de aviação do mundo. Vai pra que cidade?

- Roma.

- Que merda! Cidadezinha feia! Vai se hospedar aonde?

- No Hilton.

- Que droga, hein! Aquilo é o maior pardieiro! Vai ver o papa?

- Claro!

Programinha de Índio, hein! Milhões de pessoas se acotovelando só pra ver o papa.

O sujeito saiu do barbeiro injuriado. No dia seguinte viajou, curtiu a viagem, que foi ótima. Logo que voltou fez questão de voltar à barbearia.

- E aí como foi a viagem? - perguntou o barbeiro.

- Rapaz, você não sabe o que me aconteceu. Eu tava lá no Vaticano tentando ver o papa. Logo que o papa chegou na sacada ele olhou pra multidão e desceu.. Saiu de lá e começou a andar na minha direção. Foi se aproximando de mim cada vez mais. Quando o papa chegou bem pertinho de mim, ele falou um troço no meu ouvido. Só pra mim!

- E o que o papa falou pra você?

- Cabelinho mal cortado, hein, rapaz? Que merda de barbeiro é o seu...

:-)

jorge c. disse...

O cabelo não cresce ao Funes. Ele tem uma bimby que corta cabelo em casa.

saphou disse...

Muito boa Gu, adorei.

saphou disse...

Jorge C. tem razão, Funes faz tudo na Bimby, até toma banho enquanto cozinha lasanha.