domingo, 28 de dezembro de 2008

Dos sacanas

Os sacanas dos familiares deixam os idosos nos hospitais durante a época festiva, não deixam contacto ou desligam o telemóvel, trocam presentes, empanturram-se, embebedam-se, dão porrada uns nos outros, insultam-se, viajam para as Caraíbas a crédito, ou ficam por perto a ver o fogo de artifício do bairro, conforme o estatuto sócio-económico, e depois vão buscá-los lá para o dia 2 ou 3 de Janeiro de 2009.

4 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Não concordo nada consigo. Eu, pelo menos, não tenciono ir buscar os meus velhos pais antes da Páscoa. E só por um dia, que não estou para os aturar.

eug disse...

(...)
Fernando Pessoa psicografando a si mesmo como Álvaro de Campos: “Arre, estou farto de semideuses! Onde é que há gente no mundo? Então sou só eu que sou vil e errôneo nesta terra?”.
(...)

http://anoitan.wordpress.com/2008/12/21/kurt-cobain-e-meu-jesus/#more-176

eug disse...

(...)
Desolador o sentimento de se estar andando no centro de uma grande cidade e sentir por baixo de todo trabalho e ordem, todas as peças aparentemente encaixadas, a insatisfação reinante com a condição humana, e ainda assim o senso “prático” de comida, casa, remédio, consumo e um morrer em paz soar mais alto que o urro fechado na caixa toráxica.

Nada que um pouco de calor humano, como bons e plácidos mamíferos sugadores de seios que somos, não remedie, até segunda ordem.
(...)

eug disse...

http://anoitan.wordpress.com/2008/12/18/o-trabalho-interno/#more-150

(...)
Uma vez a amada Rabia estava numa rua bem iluminada, entretida procurando uma chave perdida. Logo seus vizinhos comecaram a procurar tambem, embora sem sucesso. “Onde voce perdeu esta chave, Rabia?”, perguntaram tentando focar a busca. “Ah, eu nao perdi minha chave aqui, eu a perdi lah em casa”, respondeu Rabia. Entretidos e surpresos, eles respeitosamente perguntaram porque ela nao procurou pela chave perdida em casa. “Eh porque minha casa tem uma luz muito fraquinha e aqui fora eh tao iluminado por causa das luzes da rua!”, ela explicou.
Os vizinhos cairam as gargalhadas. Esta foi a oportunidade de Rabia de compartilhar um ensinamento. Ela se dirigiu a eles: “Amigos, claro que voces sao inteligentes. Entao, porque eh que quando voces perdem sua paz ou felicidade, voces procuram pelo que perderam do lado de fora e nao aqui?” Rabia apontava para seu peito. ” Voces perderam sua alegria lah fora ou aqui dentro? Voces evitam olhar para dentro de si porque a luz eh fraca e entao mais incoveniente?” Estas palavras tocaram fundo no coracao de seus vizinhos.
(...)