quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Conversas

A escola teve a ideia de levar alunos do 11º ano a ver o Museu Romântico (bahhhh!) e a Cadeia da Relação do Porto (o que já se aceita bem). Numa lógica que não entendo, a seguir irão a Ovar ver a fábrica da Toyota.
-Sabias que no tempo do Camilo Castelo Branco o adultério era crime? Disse ele.
-Sabia.
-E como é que um tipo se deixa prender por andar com uma mulher tão feia? Tinhas que ver, ela era mesmo feia, igualzinha ao Sebesta, mas com cabelo mais comprido.
(Uma nota editorial: o Sebesta é muito giro no género muito másculo)
Continuando,
-Achei bem que os que não pudessem pagar ficassem todos juntos nos calabouços a comer e defecar no mesmo sítio e os de classe mais endinheirada ficassem nos andares de cima com uma vista soberba para o rio Douro, com direito a casa de banho privativa e a passear-se por todo o andar.
Penso: o tipo está com os valores todos trocados, onde é que eu errei? Vendo bem, está é actualizado. O Sócrates mantém mesma lógica em relação aos banqueiros e todo o sistema penitênciário continua baseado nestas premissas.
O que me vale é que o tipo do 11º ano estava a ironizar (espero!).

4 comentários:

privada disse...

- Imagina o que deu á velhota, tá de todo.
- O quê? Comeu os chocolates da arvore?
- Não pá nem te passa, fez um blog
- bahahahahahahha - dizem os 2 em coro.

saphou disse...

Ó privada,
Ó privada,
O privada
Do choupal
Ainda lhe raspam o chiante
Os dragões do lamaçal

privada disse...

oh só se for mesmo com uma retroescavadora que me acertem com a pá no tejadilho que no resto já não há margem e não tou a ver os dragões nesses oficios

já concluiu o seu codigo civil para estudantes?

saphou disse...

Ó privada, Código Civil paea estudantes? Eu estou a concluir uma tradução para Álvaro Funesinho e a acabar o livro que nunca mais acaba...
BIBA o POARTTOOOOO!